21.4.15

Gravuras I | Engravings I

Uma das cadeiras que escolhi e que mais gostei na faculdade (FBAUL) foi a de Gravura. Fiz vários trabalhos entre 2002-2005 (salvo erro) mas não ultrapassam uma vintena, porque é uma técnica morosa. Podemos demorar todo um dia ou, no mínimo, uma tarde inteira só para aproximar os testes do resultado final pretendido! O método é gradual e cumulativo, e os suportes – chapas de zinco, cobre, linóleo etc – requerem um certo período de adaptação ao processo, também.

Todavia, é das minhas técnicas preferidas e seleccionei algumas peças para partilhar, feitas em diferentes modos: as duas primeiras gravuras foram realizadas em ponta seca, que é riscar/desenhar directamente sobre a chapa, e as três seguintes foram apontadas em ponta seca mas finalizadas em água-forte, tendo a última sido uma experiência com máscara de cor.


Um detalhe curioso de assinalar é que os desenhos feitos em ponta seca foram referenciados a partir de revistas da National Geographic, enquanto que as outras ilustrações em água-forte partiram de fotos tiradas por mim em viagens.
Infelizmente, nunca tive oportunidade de incluir estas peças de gravura em exposições, dado que as folhas são frequentemente grandes e frágeis, entre o A1 e A0, e de difícil transporte.



One of the courses that I choose and liked best in college (FBAUL) was that of Engraving. I did various works between 2002-2005 (as far as I recall) but they didn’t surpass some twenty pieces, because it’s a time consuming technique. We can take an entire day or, at least, a full afternoon just to bring the tests to the desired result! The method is gradual and cumulative, and the supports – zinc and copper sheets, linoleum etc – require a period of adjustment to the process, also.
However, it’s one of my favored artistic techniques and so I’ve selected a few pieces to share, which were made in different ways: the first two pictures were made in drypoint, which is basically scratching/drawing directly on the metal sheet, and the following three were sketched in drypoint but finalized in etching, the latter being an experiment with a color mask.

A curious detail to note is that the designs made in drypoint were referred from National Geographic magazines, while the other illustrations in etching came from photos taken during travels. Unfortunately, I never had the opportunity to include these engravings in exhibits, as the artboards are often large and fragile, and difficult to transport.

Sem comentários: